Cerimônia Judaica

É fundamental marcar uma reunião com o celebrante Juliano, para explicar todos os detalhes, e o mesmo estará a prontidão para explicar para a cerimonial como proceder na cerimônia. Explicando a sua equipe todos os detalhes - pois é uma cerimônia muito rica em detalhes e requer muito carinho e atenção. 

É uma cerimônia com tradição, encantadora, com muitos ritos e siginifcados: Seja Kidushin, Nissuin, Ketubá, Badeken, Chuppá, Talit, etc... os materais, sobre o ambiente.  

Bom saber: O rito ortodoxo e quem for ortodoxo, deverá ser com seu Rabino. Quando os noivos gostam do judaísmo, ou um deles não é convertido ao judaísmo, então eu - Juliano Vieira, Celebrante, poderei executá-la.

Sendo Uma Cerimônia mais leve e suave - Ela não é ORTODOXA. 

                                                Ambiente

Chuppá: Cobertura ou proteção com quatro colunas, onde acontecerá a cerimônia de casamento debaixo, que representa:

                    A casa que o novo casal irá estabelecer unido. Como também representa hospitalidade, em sua casa todos serão bem vindos,

                     Lembra da Benção do Eterno para com Abraão, que seus descentes seriam tão numerosos quantos as estrelas do Céu.

                    Ambiente Claro, flores de tonalidade de paz. 

                                                         Materiais Litúrigicos:

Ter debaixo da Huppah sobre uma mesa, Cálice de Prata, Cálice de Vidro, Vinho, Lenço Branco Grande, Castiçal - Celebrante Juliano Vieira explicará durante o casamento.

Talit, para uso do noivo. Simboliza que o momento é sagrado, e ele esta concentrado em unidade com o Eterno – Adonai – que será usado no Abravar do Noivo. O Talit recorda o decálogo, todas as instruções ao povo de Israel concedida por Hashen.

                                                                Cortejo

(O Cortejo ultimamente se esta usando o habitual de todos, não o tradicional ou se desejar poderá ser o tradicional - )

- Padrinhos

- Pais

- Noivo com a mãe

- Noiva com o Pai

                                                                                       Kipá

A Kipá: De acordo com o costume, os homens mantêm a kipá na cabeça para lembrar que D’us esta acima de nós. Ela será usada durante toda a cerimônia e poderá ser guardada como recordação – Se dada aos convidados.

                                                                            Chuppá

É a cobertura (tenda) onde se realiza o ritual do casamento. Com  quatro colunas:

Representa:  A casa que o novo casal irá estabelecer unido. Como também representa hospitalidade, em sua casa todos serão bem vindos,

                     Lembra da Benção do Eterno para com Abraão, que seus descentes seriam tão numerosos tão quantos as estrelas do Céu.

                                                                                     Talit

É um manto usado durante as rezas, para simbolizar que todos são iguais quando se dirigem a D’us. É costume o noivo usar o Talit na cerimônia de casamento.

                                                                        Véu da noiva

A noiva entra com o rosto descoberto e ao ser entregue ao noivo seu rosto é coberto pelo véu antes que entrem na chuppah. O significado tem origens bíblicas: no primeiro encontro de Isaac com Rebeca. O véu simboliza também que o noivo não esta interessado em sua beleza exterior, pois ela desvanecera com o tempo e somente seu interior permanecera.

                                                                     As Sete Voltas

O antigo ritual de a noiva dar sete voltas em torno do noivo tem varias explicações. Uma delas lembra a queda da muralha de Jericó, e dessa forma a noiva circula o noivo para quebrar qualquer barreira que possa existir entre os dois. As sete voltas também são alusivas aos sete dias da criação do mundo, como se a noiva simbolicamente, estivesse construindo as paredes da nova casa do casal, além disso a noiva fazendo um circulo sem começo nem fim cria um novo mundo a dois, uma nova família.

E toda Cerimônia terá sua continuação, desde a mensagem do celebrante, as trocas de votos, troca de alianças, as sete bençãos, quebra do cálice - em cada momento o celebrante irá explicando. E claro, ficará muito bonito terminando com Mazol tov. 

Para esta cerimônia é importante que o celebrante tenha a liberdade de conduzi-la, sem interferência. Repito: Não é cerimônia ORTODOXA. Ela é mais descontraída e leve. Ideal para casais que, um é Judeu e outro não. 

 Casaram - Casais que confiaram 

no celebrante Juliano, veja a lista 

  • Facebook Social Icon